segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

O Bosque dos Anjos

segunda-feira, janeiro 15, 2018 0 Comments
Resenha


Numa pequena cidade havia o mito de que tenha anjos que guardavam o local de nada de ruim deixavam acontecer. A cidade permaneceu muito tempo em paz, mas depois de um tempo a maldade começou a correr as pessoas que ali viviam.

Elizabeth e Thiago era mais um casal de apaixonados. Mas o ex- namorado de Elizabeth não aceitou a separação deles e que ela estava feliz com outra pessoa, e assim começou a importuná-la. Até que um dia em meio a uma briga de rua ele atinge o casal e Thiago acabo morrendo de tanto que apanha. Não conseguindo se conter, o anjo Endril se mete na situação, sendo que ele não poderia se envolver de tal forma a querer uma vingança. Mas Endril estava tão possuído do poder da justiça que decidiu agir com suas próprias mãos. E assim ele acabou sendo banido por Deus e seus protetores na Terra.

No entanto, Elizabeth se encontrava grávida. Com todo o sofrimento ela tenta tirar a própria vida, mas mais uma Endril acaba salvando ela. Sabendo que o filho de Elizabeth tem grande chance de mudar o futuro, ele impede que mais um mal aconteça.

Depois de um tempo, Endril ficou isolado no Bosque dos Anjos e Elizabeth ficou criando seu filho, mesmo na rua, pois não tinha para onde ir. Depois que Nicholas nasceu e cresceu, Elizabeth sofre mais um atentado pela maldade dos homens, mas de novo ela é salva por Endril. E assim ambos vão morar com o anjo no Bosque. Mas uma nova amizade feita por Nicholas muda todo o destino da vida de todo. Nicholas e Susan se tornam grandes amigos até ele decidir partir daquele lugar e é aí que grandes reviravoltas acontecem.







O livro é até bem interessante e muito bem escrito por sinal, mas a temática da história eu não gostei e não me envolveu. Até acredito em Deus e anjos e tudo mais, mas esse tema e como a história era contada não me conquistou.

No entanto, como falei, o livro é muito bem escrito e traz diversas mensagens para se refletir em relação a vida, aos seres humanos, a maldade que está no mundo e claro, sobre termos uma influência sobrenatural, acima de nós nos olhando e nos vigiando.

Na minha humilde opinião, o livro daria muito mais certo se ele fosse com o objetivo de levar mensagens para pessoas religiosas, acredito que atingiria um público maior.

Para quem gosta de livros que tenham essas temáticas que citei acima é uma ótima obra e indico bastante.


Ficha Técnica

Autor: Sidnei Coelho
Publicado: 2017

Nota: 

Um Beijo Inesquecível - Os Bridgertons

segunda-feira, janeiro 15, 2018 0 Comments
Resenha


Hyancinth já está de certa forma com a idade avançada para arrumar um marido, mas a questão é que ela nunca encontrou um homem no qual tivesse um súbito interesse e que esse tivesse o mesmo sentimento por ela. Afinal Hyancinth tem uma personalidade peculiar, muito inteligente e franca, acaba às vezes, afastando as pessoas, principalmente os homens.

Mas no recital dos Smythe- Smith ela conhece o neto de sua grande amiga, Lady Danbury. Gareth St. Clair é um grande libertino, mas também é muito querido pela sua avó. No entanto, já pelo seu pai, a rivalidade entre ambos é grande e de longa data. E para descobrir o segredo de sua vida passada, Gareth convida justamente Hyancinth para ajudá-lo a desvendar o diário da sua avó por parte de pai, já falecida.

Hyancinth tem o papel de traduzir o que está escrito e passar as mensagens para Gareth. A cada frase que Hyancinth lia, mas ela descobria sobre o que parecia ser um “tesouro” escondido pela avó de Gareth e com isso, ambos tiveram que começar a seguir as pistas de aonde estaria esse grande “tesouro” guardado. Mas com isso a aproximação entre eles se torna cada vez maior e Gareth começa a ter um grande interesse por Hyancinth e assim sucessivamente.  

Eu adorei esse livro, achei muito divertido. Um casal que realmente tem química e tem tudo para ficarem juntos. A troca de carinho entre eles também é muito legal. Ver Hyancinth através de uma nova ótica foi muito interessante, porque quando pensava nela só a via com aquela criança terrível. Foi legal perceber também que com o tempo ela não perdeu a sua personalidade.

Gareth é aquele libertino que você conquistar. Ele com seu jeito tem toda uma maneira de conquistar ao leitor. Esse personagem me lembrou muito o Simon também do primeiro livro da série. Lady Danbury arrasando como sempre, que personagem neh?! A melhor de toda a série. Me diverti muito com ela mais uma vez.


Ficha Técnica

Autora: Julia Quinn
Editora:  Arqueiro
Publicado: 2016
Número de páginas:  272

Nota: 

sábado, 13 de janeiro de 2018

A Força que nos atrai

sábado, janeiro 13, 2018 0 Comments
Resenha



Graham Russell é um escritor de terro muito famoso que recentemente perdeu seu pai, Kent, que também era um escritor famoso. No entanto, sua relação com Kent nunca foi boa, na verdade Graham sente um verdadeiro ódio do pai. Para piorar ainda mais a situação ele como filho terá que comparecer ao enterro grandioso do pai no qual ele terá que ser o orador, mas seu desejo mesmo é ficar em casa do que disfarçar a perda de uma pessoa no qual ele não sente falta. Apesar de nunca ter desejado um filho, sua esposa Jane se encontra grávida e com todos os hormônios a flor da pele. Mas o que Graham não sabia é que justamente no dia do enterro do pai sua vida iria mudar completamente.

Lucille ou Lucy sempre teve uma vida difícil financeiramente, seus pais eram separados e sua mãe nunca parava em uma casa fixa, sempre se mudando por falta de dinheiro. Lucy e suas irmãs sempre viveram pra lá e pra cá, mas Lucy e Mari sempre foram felizes mesmo diante da situação, já Lyric, nunca gostou da vida que levava. Depois que a mãe morreu, Lyric deixou as irmãs e foi viver sua vida, mesmo quando Mari ficou com câncer ela não ficou ao lado da irmã.
Lucy e Mari depois de um tempo acabam abrindo uma Floricultura, e uma das entregas do dia era um funeral que ia ser no estádio de futebol. Depois do grande evento, Lucy acaba ficando presa e quando ela pensa que sua grande sorte chegou para lhe salvar, Graham acaba ficando preso com ela em dos locais do estádio.

Mesmo mal se conhecendo a conexão com eles parece ser bem fluída, mas nenhum dos dois perceber. Graham sem querer acaba desabafando seus sentimentos e Lucy acaba sendo uma grande ouvinte e aconselhadora. Até que ambo são tirados daquele momento quando a esposa de Graham, Jane, aparece para salvar o marido. No entanto, Jane na verdade é Lyric e é aí que a vida de todos começa a mudar.



“Sentimentos eram uma coisa estranha; as pessoas podiam ficar tristes em um segundo e felizes no outro. O que mais me surpreendia era como, de vez em quando, elas sentiam as duas coisas ao mesmo tempo.”

“-É engraçado, não é? Como o anjo de uma pessoa pode ser o maior demônio de outra.”

“ [...] palavras também ajudam. Mas, no fim, são as suas ações que vão falar mais alto.”




Eu gostei bastante desse livro, me tocou em algumas cenas, mas no geral achei bem razoável comparado aos outros da série. Sabe aquele livro ok? Então, é esse! Ele tem uma história gostosa, emocionante e aborda os temas como a positividade e a família e claro o amor neh. É um livro para passar a tarde lendo se divertindo em alguns momentos e se emocionando. Na verdade, conta uma história linda sobre o amor familiar, sobre o amor ao próximo, amizade e claro que tem uma história linda de amor que nasce nesse enredo. Sabe aqueles tipos de histórias que merecem um final feliz? Também é esse livro.

Em comparação com os outros livros eu o achei o mais fraco de toda a série, o enredo não tem muitos textos comparados aos outros e fica praticamente o livro todo envolvendo uma única história. Infelizmente o casal demora “uma vida” pra ficarem juntos, resumidamente, tem muita enrolação no meio.

Sobre os personagens...eu amei demais o Graham, sério, se ele fosse real queria dar um abraço nele bem forte. Suas palavras e conselhos são intensos e verdadeiros. Lucy é aquela personagem super paz e amor, que tem uma vibe muito positiva e boa, é aquela personagem que se fosse uma pessoa seria daquelas que você encontra e já sente algo espiritual muito bom. Jane/Lyric é uma vaca e Maria foi minha maior decepção nesse livro, ainda bem que ela retoma o juízo.

Contudo, acho que a autora fechou bem a série nos dando um livro bem light e tranquilo. Confesso que esperava mais, pensei que esse seria aquele desfecho de rasgar o coração, além de tudo, pensei que teria mais cenas adultas como o Ar que ele respira, mas as que tece foram bem de levinho. Então, para aqueles que ainda não leram, não vão com muita sede ao pote, pois esse não é aquele livro super incrível.


Para conferir as outras resenhas dos outros livros clique nos títulos.

O Ar que ele respira


A chama dentro de nós


O silêncio das águas



Ficha Técnica

Autora: Brittainy C. Cherry
Editora: Record
Publicado: 2017
Número de páginas: 294

Nota: 

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

A hospedeira

quarta-feira, janeiro 10, 2018 0 Comments
Resenha


Melanie estava sendo perseguida e em uma tentativa de desespero ela tenta se matar, mas com toda a tecnologia dos buscadores Melanie volta a vida. No entanto quem está no seu corpo na verdade é outra alma, A Peregrina, batizada pelo curandeiro que a colocou no corpo de Melanie. A função de Peregrina era passar informações sobre Melanie A buscadora, inicialmente a alma começa a passar as informações que consegue acessar através da memória de Melanie, mas conforme o tempo as coisas vão mudando.

Quanto mais o tempo passa, menos Peregrina consegue acessar as informações de Melanie e cada vez mais Peregrina começa a se apegar a Melanie. Esta no entanto, não era para está presente no seu corpo, mas sua força de lutar pela sua vida não fez que com que sua alma morresse com seu corpo.

Porém, nem tudo são flores, A buscadora não consegue desistir de Melanie e tenta de todas as formas abordar e colocar pressão em cima de Peregrina.
Peregrina nada mais é que uma alma que viveu em vários planetas, que possui diferentes experiências e que viveu vários tipos de formas de vida. Seu maior desafio está sendo ser uma humana, o que torna mais difícil ainda pois Melanie não deixa ela tomar conta totalmente do seu corpo.

Conforme o tempo vai passando e a ligação entre Melanie e Peregrina se firmam, Peregrina decide conversar com seu curador para entender melhor as coisas ou tentar uma atitude drástica, mas Melanie consegue convencer Peregrina a fugir.

Por dias Peregrina anda pelo deserto revivendo as memórias de Melanie e tentando encontrar o esconderijo que o tio de Melanie havia lhe contado, porém quanto mais Peregrina anda menos parece encontrar o local. Com fome e sede ela se encontra quase diante a morte. No entanto, como um milagre, o tio de Melanie a encontra, mas ela é uma estranha, não é mais sua sobrinha, pode ser uma buscadora. Será que ele vai salvar a vida dessa alma? Mesmo não sabendo o que ela é ou o que pode fazer?


Eu ameiii demais esse livro, além da escrita ser fantástica o enredo é maravilhoso. É um livro que fala sobre almas, sobre a vida. Um livro que nos transforma e nos faz refletir como seres humanos. Sei que há pessoas que não gostaram muito do enredo e que acharam pouco cativante no começo, mas para mim a história foi envolvente desde o início.

Melanie é uma mulher forte e guerreira, que luta pela vida e não se deixa perder por pouca coisa. Desde que seus pais morreram ela luta com seu irmão pela sobrevivência e seu mundo fica mais colorido quando ela encontra Jared, seu grande amor.

Peregrina não é nada mais e nada menos que uma alma que já viveu muitas vidas, mas como ser humana é quando ela encontra realmente a vontade de viver e de pertencer a um lugar. Vivendo os sentimentos de Melanie ela acaba pegando amor pela vida dos seres humanos, compreendendo-os cada vez mais e adquirindo o amor pelos entes mais queridos de Melanie. No entanto, com o tempo ela vai se redescobrindo e descobrindo novas coisas, pessoas e sentimentos.

A adaptação do livro também é muito fiel ao filme, desde que assisti eu tive vontade de ler a obra e não me arrependi. É simplesmente fantástica, vale muito a pena.


Ficha Técnica

Autora: Stephenie Meyer
Editora: Intrínseca
Publicado: 209
Número de páginas: 560

Nota: 

sábado, 6 de janeiro de 2018

Assassinato no Expresso Oriente

sábado, janeiro 06, 2018 0 Comments
Resenha


Tudo começa quando o detetive Mr. Hercule Poirot embarca no Taurus Express e tem um breve desembarque no hotel Tokatlian. No hotel, Mr. Poirot conhece um sujeito muito estranho e bastante suspeito chamado de Mr. Ratchett. Embarcando no Expresso Oriente rumo à Londres, Mr. Poirot quase não consegue uma vaga, pois o trem se encontra lotado de passageiros o que para a época é considerado bem estranho. Mais estranho ainda é que ao embarcar Mr. Poirot vê Mr. Ratchett no mesmo trem, sendo um dos passageiros. No entanto, para surpresa do detetive, Mr. Ratchett convida-o para contrata-lo para investigar quem é que estaria tentando lhe matar, já que tinha grandes suspeitas que corria sério riscos de vida. Só que Mr. Poirot recusa a oferta, acreditando que aquilo não se encaixava no seu trabalho.


Mas as coisas começam a tomar um rumo diferente quando se descobre que houve um assassinato no trem e Mr. Poirot é encarregado a cuidar do caso. Com a ajuda do diretor da companhia e com o Dr. Constantine que também era um dos viajantes, eles começam a investigar os passageiros e todos inicialmente parecem ser suspeitos.

A cada interrogação um novo suspeito era acrescentado na lista do detetive e a cada dois passos que davam para frente automaticamente eles retrocediam para trás. Pelo que parecia todos tinham um álibi e ninguém era realmente o assassino, tudo se encaixava com maestria. Até que o detetive começa a interligar os pontos e suas teorias sobre quem seria o assassino começam a vir à tona. Depois de interrogar todos ali presente e começar a implantar suspeitas, novas provas vão surgindo, várias teorias vão caindo por terra até restar poucas para descobrir realmente a verdade.

Quem será o assassino?

Quem morreu?

Por que cada vez mais fica tão difícil de achar o culpado?

Será que o detetive consegue descobrir toda a verdade?

E o que acontecerá com o assassino?





Eu simplesmente adorei o livro, do começo ao fim não suspeitei de ninguém, para dizer a verdade, tive apenas um suspeito que foi algo bem hipotético mesmo.

Esse foi o primeiro livro que li da autora, por indicação de uma amiga para conhecer a escrita da autora e como o filme estava prestes a lançar eu decidi por esse título. Não me arrependi nem um pouco. Não vou dizer que me apaixonei pela escrita da autora, até porque devido a época, é uma escrita as vezes maçante não muito empolgante apesar do gênero. Não sei se é essa obra em específico ou se todas são assim. No entanto, eu amei a trama, muito bem desenvolvida, fiquei bem curiosa para saber a história de cada personagem e achei o detetive bem excêntrico. Fiquei um pouco chocada com o final, de como tudo realmente terminou, jamais esperava por aquela reação ou melhor dizendo, atitude. Com todas as letras digo que esse livro foi extremamente surpreendente para mim, com certeza num futuro pretendo ler outras obras da autora.

Sobre o filme, acabei não assistindo pois quando fui tentar ver já tinham tirado dos cinemas, creio eu que deva ser por conta das bilheterias. Mas e aí vocês assistiram? Gostaram? Já leram o livro? Me contem. E também deixem suas indicações aqui.

Vou deixar o trailer do filme aqui embaixo ↴






Ficha Técnica

Autora: Agatha Christie
Editora: Haper Collins
Publicado: 2017 (edição nova com capa do filme)
Número de páginas: 198

Nota: 

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

O Príncipe Serpente

quarta-feira, dezembro 13, 2017 0 Comments
Resenha



Indo para sua casa depois de uma visita há um dos seus vizinhos, Lucinda Craddock – Hayes se depara com um homem praticamente morto, nu, todo ferido na estrada. Sem conseguir deixar para lá e seguir seu caminho, ela lhe presta socorro. Em sua casa, ela caba abrigando o homem no quarto do seu irmão David. Apesar do seu pai não gostar muito da ideia de pôr um homem desconhecido dentro de casa, ele acaba aceitando.



Logo após uns dias, o homem chamado, Simon Iddesleigh, acorda. Simon logo se depara com Lucy, no qual ele a intitula de anjo por ter lhe salvado a vida. Como a descoberta de que Simon não é nenhuma pessoa desrespeitosa e sim um visconde ele fica ali por uns dias até se recuperar. Mas como Simon foi parar em Maiden Hill e todo machucado?

Já em Londres, Sir Rupert Fletcher tem a notícia de que Simon finalmente está morto. Tudo foi planejado por Fletcher com o comando de Quincy James. O objetivo era matar Simon para que eles pudessem se livrar de vez do visconde. Então James, contrata uns capangas que espancam, esfaqueiam e que tiram as roupas e os pertences de Simon largando-o praticamente morto em uma pequena cidade da Inglaterra.




Enquanto isso em Maiden Hill, Simon se vê cada vez mais confortado na casa dos Craddock-Hayes, sua permanência vai de estendendo cada vez mais, assim como sua relação com Lucy. Simon se vê cada vez mais encantando com a simples mulher do interior. E Lucy se sente cada vez mais atraída pelo visconde, lhe desejando cada vez mais. Mas como ela é uma mulher do interior acredita que nada tem a despertar em Simon.

Mas uma cena vista por Simon a respeito de Lucy, faz com que se seus desejos somente se aflorem mais e lhe faz perceber que já passou da hora de ficar naquela casa e naquela cidade. E o início de uma nova ameaça só reafirma os riscos que Simon esteja correndo. Assim, ele acaba voltando para Londres para terminar o que já havia começado há um tempo atrás e deixa Lucy para trás.




Por que será que querem matar Simon?
E o que ele tem que fazer tanto em Londres?
Que cena é essa no qual Simon se depara?
Será que ele e Lucy vão ficar juntos?



Primeiramente eu queria falar Rá, vocês vão ter que descobrir. Kkkk, entendedores, entenderão, mas enfim. Eu sinceramente achei o livro bem chato do início ao fim. Quem me matar? Me matem então. Foi uma decepção total tanto a obra em si quanto os personagens. O livro todo só fica envolvendo um tema único e duelo. Achei muito forçado a protagonista ter uma mente tão aberta assim como o pai dela. Tudo muito fácil e simples, tudo muito forçado para aquela época.

Simon parece aqueles homens egoístas que só pensam nele, não vejo ele tentando agradar a Lucy, muito menos na cama. Logo de primeira ele já foi pouco cavalheiro, então fiquei tipo, WTP? E o pior que ele passa o livro todo assim, só pensa na coitada no final do final do final. Lucy coitada, apaixonada, aceita tudo do marido, apesar de saber dos defeitos dele está sempre abaixando a cabeça. Sei lá viu, ela não me passou pela garganta. E aquele pai chato dela? Nossa meu, da vontade de dar uns sacodes naquele velho. E que pai que aceita o que ele aceita sobre a vida da filha? Gente muito bizarro tudo.

O conto de o Príncipe Serpente também é muito ruinzinho e chatinho. É uma mistura de Cinderela com mais sombrio.

Não achei a história envolvente e nem cativante, os personagens não te ganham e tem características e atitudes muito forçadas e sem graças. Não dei uma nota mais baixa porque o problema pode ter sido apenas comigo e de certa forma tem um lado do livro que é bem escrito. Espero de coração que vocês gostem e não se decepcionem como eu.





Ficha Técnica

Autora: Elizabeth Hoyt
Editora: Record
Publicado: 2017
Número de páginas:  362

Nota: 

Instagram