segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Cenas Londrinas

segunda-feira, setembro 25, 2017 0 Comments
Resenha





O livro Cenas Londrinas é dividido em: As docas de Londres, Maré de Oxford Street, Casas de grandes homens, Abadias e catedrais, “Esta é a Câmara dos Comuns” e Retrato de uma londrina. Além disso, há um texto escrito por Ivo Barroso contando a outra face de Virginia Woolf e um outro texto que fala sobre a história de Cenas Londrinas.

No texto de Ivo Barroso, nos conta quem foi Virginia Woolf. Retrata sobre sua vida pessoal, familiar e profissional.

Nos textos relacionados as Cenas Londrinas escrito por Woolf percebe - se a descrição de Londres em diversos aspectos. A retratação de tudo está nos objetos, nas pessoas, nas atitudes, na pavimentação da cidade e na sociedade como um todo. Virginia nos traz uma visão do que está em torno de nós, coisas do dia a dia, coisas simples que pouco de nós reparamos. Ela descreve as cenas de forma minimalista e detalhadas, e ao mesmo tempo colocando opiniões diante daquilo que é descrito. Os textos são todos interligados e o conjunto se torna uma coisa só, ou seja, Londres. Mas não só Londres, pois se você parar para refletir são cenas que acontecem em todos os lugares a nossa volta.

O texto que fala sobre a história de Cenas londrinas conta quando foi publicado e como foi publicado por Virginia Woolf.



“ [...] mesmo um moralista reconhecerá que essa rua espalhafatosa, alvoraçada e vulgar lembra-nos que a vida é uma luta; que toda construção é perecível; que toda exibição é vaidade. ” (p.30)

“ Quando o jardineiro planta seus bulbos ou semeia sua grama, eles florescem de novo e alastram pelo solo sua relva verde e macia. Aqui, as mães e as babás ‘fofocam’; crianças brincam; e o velho mendigo, após jantar os restos de um saco de papel, espalha migalhas para os pardais. Esses cemitérios de jardim são os mais tranquilos dos santuários londrinos, e seus mortos os mais quietos de todos. ” (p.42)



Em Cenas londrinas Virginia fala do povo, de política, de religião, de relacionamento, entre outras coisas. Ela aborda em seus textos vários temas de forma implícita e explícita.

Confesso que nunca tinha lido nada da autora e me impressionei com seus textos, com sua narrativa. Gostei muito da obra, que se torna envolvente e mais interessante a cada página. Conhecer também um pouco da autora foi algo que achei fantástico, afinal tudo que ela passou já na época em que viveu. A obra é bem fluída e quando você percebe já terminou de ler e quer mais.

A coleção está magnífica e já estou querendo ler os outros livros de outras autoras que fizeram tanta diferença na literatura.



Coleção Folha Mulheres na Literatura

Autora: Virginia Woolf
Editora: Folha de S. Paulo
Publicado:2017
Número de páginas: 64

Nota: 

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Pax

quarta-feira, setembro 20, 2017 0 Comments
Resenha



O país vai entrar em guerra e Peter se ver na difícil missão de se desfazer da sua raposa chamada Pax. Não por sua própria escolha, mas porque seu pai havia lhe mandado se desfazer da raposa, já que com os novos acontecimentos Peter não poderia mais ficar com ela.

No meio da estrada o pai de Peter para o carro e faz o garoto descer com a raposa e desfazer dela. Momentaneamente Peter não encontra muitas escolhas a não ser aquela que seu pai mandou lhe fazer; e assim joga o brinquedo de Pax, espera ele ir atrás para ele próprio ir embora.

Como seu pai acaba indo para guerra, Peter vai morar na casa do avô. Chegando lá, ele percebe que fez a pior escolha que poderia fazer, afinal Pax fazia parte dele e ambos eram inseparáveis. Então, ele acaba decidindo fugir e tentar encontrar sua raposa, mas no meio do caminho Peter irá encontrar muitas dificuldades.

Primeiramente as pessoas na rua começa a achar estranho um garoto andando sozinho, segundo que em meio à sua busca Peter acaba se machucando, mas por outro lado ele conhece uma mulher chamada Vola que aparentemente lhe parece não ser uma pessoa confiável. No entanto, como o tempo Peter vai conhecendo melhor Vola e descobre que a verdade é que ela só é uma pessoa sozinha e que traz muitas marcas.

Será que Peter irá encontrar Pax? E como está Pax depois que o seu dono lhe abandonou?



“A verdade mais simples pode ser a coisa mais difícil de enxergar quando envolve a nós mesmos. Se você não quiser ver a verdade, vai fazer o que for preciso para disfarça-la.” (p.193)

“Apesar de uma coisa ruim ter destruído você, a gente sempre pode recomeçar do zero.” (p. 205)

“Muitas coisas boas vêm da raiva que sentimos por coisas ruins, muitas injustiças são consertadas assim. Mas primeiro temos que descobrir como controlá-la.” (p.222)



Achei a história bonita, mas nada demais. A amizade entre Peter e Pax realmente é muito linda e verdadeira, ainda mais em se tratando de uma espécie selvagem, pois com animais domésticos é fácil se perceber esses tipos de laço. Porém não vi nada de encantador e grandioso na obra. Até agora me pergunto o porquê de todo alarde quando esse livro foi lançado.

Esse é um tipo de livro fofinho, que te faz refletir sobre o que é amizade e amor. Além disso, ele te traz a visão da guerra, as consequências, os maus que causa tanto ao redor quanto aos seres humanos, animais, aos próprios soldados...E ele te passa a mensagem de que mesmo diante das dificuldades, sempre podemos recomeçar.




Autora: Sara Pennypacker
Editora: Intrínseca
Publicado: 2016
Número de páginas: 288

Nota: 

domingo, 17 de setembro de 2017

Conhecendo a autora da obra As coisas não são bem assim

domingo, setembro 17, 2017 0 Comments

Olá pessoal, hoje venho falar um pouco sobre a autora da obra As coisas não são bem assim. O exemplar foi cedido em parceria com a Lc Agência de Comunicações. Eu adorei o livro e resolvi compartilhar um pouco com vocês sobre a autora e seus trabalhos. Além do mais, tive a oportunidade e o prazer de conhecê-la na Bienal do Livro de 2017 e é claro que peguei meu autógrafo. Confesso que adorei bater o papo com ela, muito simpática e uma fofa. E em breve terá Sorteio de marcadores no Instagram em parceria com a autora.


🌼 Conhecendo a autora

Bienal do Livro 2017 - Stand da Editora Pandorga - Tarde de autógráfos

A autora Renata R. Corrêa é formada em Medicina, especializada em Oftamologia, tem 36 anos, é casada e mãe de um casal de gêmeos de 1 ano e meio. Atualmente mora em Uberlândia – Minas gerais e além dos livros, escreve em seu blog renatacorreaescritora.blogspot.com.br . Segundo a autora, sempre foi uma leitora voraz escrevendo desde a adolescência. Publicou seu primeiro romance Contra todas as probabilidades de forma independente na Amazon em novembro de 2016, e até o momento não tem parado de escrever e publicar seus livros. E este mês será lançado na Amazon o seu terceiro romance com o título Um ano sabático, que concorrerá ao Prêmio Kindle de Literatura.

🌼 Suas Obras

Contra todas as probabilidades - romance New Adult, publicado independente em e-book na Amazon

Amores e desamores – livro de contos, publicado independente em e-book na Amazon.

As coisas não são bem assim - romance New Adult, publicado pela Editora Pandorga.


🌼 Sinopse das obras

Contra todas as probabilidades



            A vida profissional de Ana, uma jovem e solitária decoradora de interiores, órfã de pai e mãe, estava ótima, já sua vida pessoal andava de mal a pior. Até que um certo dia, após ouvir uma bela canção de amor no rádio, começou a se sentir diferente, quando teve um pressentimento de que sua vida estava prestes a mudar, como se aquela melodia, cantada por uma incrível voz rouca, tivesse tocado seu coração. Ela se apaixona então, platonicamente, pelo músico Marcus, o vocalista da banda que tocava na rádio, e acaba o conhecendo de uma forma inusitada. Depois desse encontro, sua vida nunca mais será a mesma.


Contra todas as probabilidades faz referência à improbabilidade da história de amor entre Ana e Marcus, por viverem em realidades diferentes, cidades diferentes, estarem envolvidos em relações diferentes e, mesmo assim, unirem seus corações. É uma história bonita de amor, de dor, de sofrimento, mas principalmente de aprendizado e de recomeços. O livro inspira esperança porque permite ao leitor acreditar que tudo pode melhorar desde que não se desista, mesmo contra todas as probabilidades.

Amores e desamores



Nesta coletânea de 11 contos curtos, a autora narra de forma delicada, característica da sua escrita, histórias de amores que deram certo e de outros que não terminaram bem, dividindo com o leitor a angústia, o sofrimento e o medo de seus personagens, bem como seus sonhos e suas alegrias.



As coisas não são bem assim - sobre a vida e o amor


            Clarice, uma jovem estudante de medicina, perde seu namorado, que acreditava ser o grande amor de sua vida, às vésperas da formatura, após sofrem um grave acidente de carro. Morre com Guilherme um pouco da alegria de viver de Clarice, da sua esperança e do seu futuro.


            Depois de mais de um ano do falecimento do seu amado, o destino coloca na vida de Clarice, Henrique, um jovem advogado viúvo e pai da Duda, uma linda menininha loira, muito esperta e amorosa. Envolvidos por um amor sincero, terão que enfrentar grandes dificuldades e um sofrimento inesperado.
            É uma bonita e delicada história sobre recomeços, fé, esperança e sobre o poder do amor.



🌼 Onde Adquirir a Obra

Para adquirir as obras, você pode estar encontrando no site da Amazon e da Saraiva.



🌼 Contatos e Redes Sociais



🌼 Resenha de As coisas não são bem assim

Para ver a resenha do livro, vocês podem estar clicando aqui.  


🌼 Fotos da Bienal do Livro

Bienal do Livro 2017 - Stand da Editora Pandorga




Espero que tenham gostado da matéria e até a próxima. Beijos

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Marca da Escuridão

sexta-feira, setembro 08, 2017 0 Comments
Resenha



Evangeline Hollins desde que viu Alec se sentiu imediatamente atraída por ele, apesar de querer lhe chamar a atenção, ela não obteve muito sucesso. Mas após ser confrontada pelo seu ex-namorado, Alec vai até sua defesa e é quando ambos acabam se envolvendo. No entanto, Alec some da vida de Eva e após um fato muito estranho ter lhe acontecido, como a presença de uma marca em seu corpo, Alec acaba retornando para sua vida.

Muitos dias se passam no qual Eva permanece de cama, sentindo fortes dores e cansaço, além de um desejo sexual fora do comum. O mais surpreendente é que durante todo esse tempo Alec permanece ao seu lado sendo seu companheiro e enfermeiro.

Quando finalmente Eva se sente recuperada, ela começa a tentar entender o que lhe aconteceu. Através de Reed e Alec, Eva descobre que agora é uma marcada, ou seja, agora ela trabalha em nome de Deus para matar todos os tipos de demônios que rondam pela Terra e mandá-los de volta ao inferno. Alec na verdade é Caim, e seu parceiro; e Reed é irmão de Alec e seu tutor.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Outlander - A Libélula no Âmbar

quinta-feira, agosto 24, 2017 0 Comments
Resenha



Essa resenha pode conter spoleir por ser uma continuidade.

Leia a resenha do primeiro livro aqui.


Depois do ocorrido com Jaime e Claire, eles decidem ir para França tentar impedir o príncipe Charlie a arrecadar fundos para fazer seu pai retornar ao trono.

Ao chegar em solo francês, o casal mais o fiel amigo e companheiro Murtagh vão ao encontro de Jared, primo de Jaime, que lhes dá abrigo. Após passar um tempo, Jared oferece a Jaime o cargo de cuidar dos seus negócios com bebidas. Ao mesmo tempo, Jaime tenta entrar nas causas jacobitas para se aproximar do príncipe Charlie. Com isso Claire e Jaime vão se introduzindo cada vez mais na sociedade francesa, proporcionando jantares e se aproximando de pessoas de alta patente, até mesmo do rei da França, Loius.

Com o passar do tempo, Claire, grávida, tenta levar sua vida organizando jantares, estando à frente da casa, convivendo com amigos...Mas sente que lhe falta algo maior para ocupar seu tempo. É quando decide trabalhar num hospital no qual acolhe todos os tipos de pessoas. Enquanto isso, a amizade entre Jaime e o príncipe Charlie se torna mais sólida, porém parece que as atividades do príncipe em arrecadar fundos para sua causa também vão se tornando sólida.

No entanto, uma visita inesperada na França acaba abalando totalmente a vida de Claire e Jaime fazendo com que o casal passe novamente por grandes dificuldades emocionais. Assim eles acabam tendo que retornar para Escócia e Jaime decide voltar as suas terras. Em Lallybroch ambos recuperados dos seus problemas emocionais vão vivendo o seu dia a dia felizes ao lado de Jenny (irmã de Jaime) e sua família. Mas uma carta enviada pelo príncipe Charlie acaba fazendo que novamente as coisas se modifiquem na vida do casal.

Em outro momento e em outro tempo na história...

Claire retorna a Escócia após saber da morte do reverendo Wakefield, chegando à casa, ela reencontra Roger Wakefield, filho adotivo do falecido. E após algumas conversas ambos vão se aproximando. Enquanto isso, Claire vai tentando mostrar os lugares mais conhecidos de Inverness para sua filha Brianna e ao mesmo tempo tentando descobrir sobre seu passado.



“Cada um de nós pode ser responsável por seus próprios atos e sua própria consciência. O que quer que eu faça não pode ser tributado a você, independentemente de quais sejas as consequências. ” (p.402)



Amei a obra é claro. O início do livro já começa “daquele jeito”, o que foi surpreendente. Claire e Jaime arrasando como sempre e a autora mais ainda. Esse foi um livro mais parado em se tratando do casal, mas também foi um livro com vários acontecimentos diferentes, muitas histórias e muitos personagens. Houve momentos bem divertidos, outros cansativos e outros bem intensos e emocionantes. Não canso de me surpreender nessa série. Apesar de ser volume bem grosso, a história flui muito rápida e envolvente. Em A viajante do tempo eu sofri com Jaime e nesse eu sofri com Claire. E o final é de cortar a alma, nunca vi um casal tão intenso e apaixonados. É muito amor fluindo. Confesso que fiquei muito feliz de Bree não ser que nem na série de Tv, mas algumas cenas da série fizeram falta no livro e vice-versa. Ao meu ver a série de Tv teve uma versão mais leve e cômica, porém no livro você encontra isso e poucos momentos. Tenho certeza que quem leu o primeiro livro irá se surpreender nesse segundo.



Autora: Diana Gabaldon
Editora: Arqueiro
Publicado: 2016
Número de páginas: 941

Nota: 


Outlander – O resgate no mar – Parte 1

quinta-feira, agosto 24, 2017 0 Comments

Resenha



Por ser continuação esse livro pode conter spoleir


Nessa fase do livro encontramos mais cenas relatando a busca de Claire para saber se Jaime está vivo ou não. E encontramos muitos textos narrados por Jaime, relatando sua vida pós Culloden.

Depois de ter sobrevivido à Culloden, Jaime acredita que tem a chance de ser executado e finalmente ter sua paz, mas um major acaba descobrindo quem ele realmente era e decide libertá-lo e tentar salvar sua vida lhe mandando para casa. Porém as coisas não foram tão fáceis assim, Jaime se encontrava muito ferido e tinha o risco de perder a perna. Mas sua irmã acaba lhe salvando, só que as coisas em toda a Escócia não estavam muito bem e Jaime como traidor do rei não poderia viver sua vida normalmente. Para pode sobreviver, ele se esconde em uma caverna durante anos, mas depois de um tempo já não aguenta mais viver aquela vida e fazer sua família sofrer correndo risco por ele. Assim, Jaime acaba se “entregando” aos oficiais, e como ele é muito valioso, em vez de executá-lo decidem manter ele sobre cárcere privado. Na prisão Jaime encontra muitos dos seus companheiros e como é um homem estudado e culto, se torna uma espécie de líder para seus amigos, lhes representando diante do comodante e chefe da prisão. E com a chegada de um novo comandante, sua vida começa a mudar.

Instagram