Orgulho e Preconceito

Resenha


Elizabeth Bennet tem quatro irmãs e é a segunda mais velha de todas, vive uma vida simples, mas tem um ótimo senso de humor e destaca-se pela sua sinceridade nas palavras. Lizzy tem como sua melhor amiga, a irmã Jane no qual sempre divide seus pensamentos. As coisas começam a mudar na família Bennet, com a chegada do Sr.Bingley que veio com a família e seu amigo Darcy. Como de costume e porque a Sra. Bennet quer casar logo suas filhas, ela obriga o marido a visitar e se apresentar à Sr. Bingley.


Em um baile planejado pela família Bingley, eles acabam se apresentando ao povoado junto com o amigo da família, Darcy. Nada tinham o que reclamarem, a não ser por Darcy transparecer totalmente orgulhoso e indiferente as pessoas.

Com o tempo Sr. Bingley se viu encantado por Jane Bennet e o relacionamento entre ambos fez com que todos se aproximassem melhor da família de Bingley. E essa aproximação fez com que Darcy pudesse ter uma formação de opinião melhor de todos, principalmente de Elizabeth. Cada vez mais Elizabeth e Darcy se viam na presença um do outro, Darcy tendo um interesse maior por Lizzy e ela querendo cada vez menos estar em sua presença, ainda mais com as novas descobertas que soube a respeito do passado dele.

**

A obra é extremamente encantadora e apaixonante, porém não é aquele tipo de livro que você não poderia ficar sem ler, na minha opinião. Apesar de ser uma obra antiga, a escrita é bem fácil e tranquila de ler. Uma história que você extrai várias questões de reflexão. Única coisa que não gostei mesmo foi que ao longo do livro a autora evidenciava muitas vezes a questão do orgulho e o preconceito, porém para o leito isso já fica bastante claro aonde esses adjetivos se encaixavam na história.

Eu me apaixonei pela Lizzy, me identifiquei bastante com a personagem com seu jeito de ser. Darcy por mais que seja reservado no início do livro, depois ele vai se mostrando um homem extremamente encantador. Mas é em Bingley e Jane que você percebe um amor puro e jovial, Jane é praticamente uma santa (rsrs), adorei seu jeito meigo e paciente de ser. Quanto a alguns outros personagens que compõem a história são extremamente irritantes, como: Lydia Bennet, Sra. Bennett e Lady Catherine.

**

“ Se a mulher esconder o seu afeto de seu objeto com muita habilidade, pode perder a oportunidade de cativá-lo; e não servirá de muito consolo achar que todos igualmente ignorem o que se passa. Há tanta gratidão ou vaidade em quase todos os relacionamentos amorosos, que não é seguro deixar nenhum deles entregue a si mesmo. Todos podemos começar espontaneamente, mas pouquíssimos de nós somos corajosos o suficiente para nos apaixonarmos de verdade sem um incentivo. ” (p.27-28)

“ [...] todo impulso sentimental deve ser guiado pela razão; e, na minha opinião, o esforço deve ser proporcional ao objetivo. ” (p.38)

**

Autora: Jane Austen
Editora: Martin Claret
Edição:2013
Número de páginas: 385
Nota:
Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger