terça-feira, 12 de dezembro de 2017

# Resenhas # Suspense

Em Águas Sombrias

Resenha



Jules depois que soube da morte da sua irmã Nel acaba retornando à cidade que viveu e cresceu e que lhe traz tantas lembranças ruins e agonizantes. Nel tentou lhe ligar dias antes, mas como sempre Jules nunca atendia. Agora de volta a cidade ela tem que lhe dar com seus medos e monstros, além de ter que cuidar da sua sobrinha Lena.



Jules nunca teve uma boa relação com sua irmã Nel e depois que cresceu decidiu deixar tudo para trás e ser uma nova pessoa. Sua relação com a sua sobrinha Lena parece que vai andar pelo mesmo caminho. Lena é uma menina marrenta, arrogante e revoltada, sem nunca ter conhecido a tia ela tenta ao máximo ficar mais longe possível, afinal para ela a morte da mãe é culpa de Jules que nunca nem se quer quis ouvir o que tanto Nel queria falar.


Nel é e sempre foi fascinada pelo Poço dos Afogamentos, pelas diversas histórias das mulheres que morreram naquele rio. Seu projeto de vida era escrever um livro relatando a história de cada mulher que viveu naquela cidade e morreu naquele rio. Mas com isso, Nel consegue vários inimigos a sua volta, afinal ninguém quer ficar remexendo nas feridas e ficar relembrando a dor da perda de um ente querido. Tanto estudo e tanta “devoção” fez com que Nel morresse no mesmo rio, todos suspeitam que ela se matou, mas será que talvez pudesse ter sido assassinada?


Sean Townsend é o inspetor que está investigando o caso e vários detetives estão trabalhando com ele para descobrir o que pode ter acontecido com Nel, tudo indica que ela se suicidou; já que o corpo não apresenta marcas de briga. No entanto, com a vida complicada de Nel, tudo é muito suspeito e quanto mais investigam a morte de Nel, mais se vai descobrindo sobre a morte das outras mulheres que morreram no rio. Ou seja, casos que aparentemente pareciam estar resolvidos começam a vir à tona. O rio guarda muitos segredos, muitas histórias, mas será que após anos estas serão reveladas?



Será que o rio guarda algo macabro e sombrio?
Ou será que são as pessoas que se sentem atraídas por ele?
Ou é apenas tudo coincidência ou tudo está interligado?


Primeiramente achei fantástica a história desse livro. Eu amei do começo ao fim. A cada página que lia ficava mais aflita e querendo saber a verdade. Confesso que toda a história do rio é muito macabra e você fica pensando o que aquelas mulheres viam tanto naquele rio. Jules morre de medo da sua casa velha que é uma casa de moinho, e sério, não sei se ficaria dormindo lá não,kkkk.

O livro foi surpreendente para mim do começo ao fim, literalmente até o fim, na última linha. Só teve uma coisa que a autora nos deixou com um ponto de interrogação e eu queria muito saber o que aconteceu detalhadamente. Nel é uma mulher cheia de segredos e nossa a morte dela é muito bem-vinda, que garota ruim. Fora que é completamente doida por essa história macabra das mulheres mortas e da atração pelo rio. Sério! Isso não é normal! A personagem que mais me deu pena foi a Jules, coitada, não sei como sobreviveu a tudo que passou. Lena também é daquelas adolescentes que coitada, sente falta de atenção e amor; perde as únicas pessoas que mais ama e tem que conviver com tudo para si.

Enfim, esse livro fala sobre drogas, suicídio, amor, estrupo, bullying e muitos outros temas. Não tenho como relatar todos. É uma história intensa, conflitante, aflitante e cheia de emoções. Para quem se queixou da obra eu não vejo o por que, afinal para mim foi fantástico e muito bem escrito. Recomendo a todos.



Ficha Técnica

Autora: Paula Hawkins
Editora: Record
Publicado: 2017
Número de páginas: 364

Nota: 

Instagram