quarta-feira, 12 de outubro de 2016

# Drama # Resenhas

Como Viver Eternamente

Resenha


Sam tem onze anos e possui leucemia. Foi diagnosticado com a doença desde cedo, porém ele é um dos casos que não se consegue a cura; aos onze já é a terceira vez que a doença se manifesta. Como os médicos acreditam que dessa vez não há nada no qual se possa fazer, a não ser prolongar seu tempo de vida, Sam decide escrever um livro falando sobre si. A ideia de começar a escrever foi da sua professora particular Sra. Willis, e seu amigo Felix o ajuda a realizar parte dos desejos de Sam e com alguns fatos no livro.

De início, Sam conta sobre ele e depois faz uma outra lista sobre as coisas na qual quer fazer. Além disso, ele elabora diversas perguntas na qual ninguém quer responder, como: “ Para onde vamos quando morremos? ”. Sam, Felix e Sra. Willis respondem a essas perguntas, baseadas em suas próprias opiniões e outras em fontes de internet ou livros. Sam, também conta sobre sua família e seus estados de saúde; tudo vai muito bem até que seu amigo Felix tem uma recaída na saúde e volta a ficar internado.

**

“ Posso entender quando alguém velho morre. Você não ia querer viver para sempre [...]. No entanto, isso não explica por que crianças precisam morrer. Vovó diz que é errado olhar as coisas a partir desse ponto de vista. Ela diz que morrer é como as lagartas virando borboletas. ”  (p.199)

**

Apesar do tema ser “pesado”, a obra é super tranquila de ler com alguns toques de humor. Possui várias curiosidades sobre a área da saúde, constelação, dirigíveis etc. A história é bem rápida de se ler, contém várias ilustrações e os texto são bem curtos. Gostei bastante do livro e é indicado para qualquer idade, o tema da leucemia não entra tão afundo no livro, sendo mais baseado nas aventuras e pensamentos de Sam.

**

Autora: Sally Nicholls
Editora: Geração
Edição: 2014
Número de páginas:  230

Nota: 

Instagram